quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Diferênça entre dízimo e oferta.

-Dízimo é a contribuição voluntária, regular e proporcional aos ganhos de cada um com a qual o cristão participa das responsabilidades de manter as atividades de sua comunidade de Fé. Reflete o gesto concreto de partilha, o vínculo que o fiel tem com a sua comunidade.
-O Dízimo é aplicado em 3 dimensões: 


.Dimensão Religiosa: despesas com o Culto, com o sacerdote, com o templo. 
.Dimensão Social: ajuda aos mais necessitados. 
.Dimensão Missionária: Despesas com a Evangelização fora dos limites da comunidade. Ajuda a outras paróquias e comunidades, obras missionárias. 
-Há muitas passagens bíblicas sobre o Dízimo, especialmente no Antigo Testamento. Uma das principais é o texto de Malaquias 3,10: 
"Pagai integralmente os dízimos ao tesouro do templo, para que haja alimento em minha casa. Fazei a experiência, diz o senhor dos exércitos, e vereis se não vos abro os reservatórios do céu e se não derramo a minha benção sobre vós muito além do necessário". 
"Pagar o dízimo segundo o costume". Esta era a redação do quinto mandamento da Igreja até bem pouco tempo. A nova redação que lhe foi dada, embora não mais mencionando a palavra dízimo, continua a interpelar o católico no sentido da sua corresponsabilidade eclesial.
Se os compromissos financeiros da Igreja são regulares e sistemáticos, porque também na vida eclesial há uma rotina de investimentos e despesas necessárias, entendo que o dízimo é um dos melhores mecanismos de responder a estas exigências da realidade eclesial, conforme dispõe o novo Catecismo, em relação ao quinto mandamento da Igreja: "Atender às necessidades materiais da Igreja, cada qual segundo as próprias possibilidades". 
- Contribuir com o Dízimo regularmente é um privilégio que temos como bons católicos: contribuir com a sustentação da nossa família de irmãos na fé. 
- Isso não elimina os demais atos de caridade que como cristão somos convidados a realizar: a esmola, os gestos de caridade, as ofertas. 
OFERTAS 
-São os donativos entregues durante o ofertório das missas. Está vinculado à Liturgia. 
-No ofertório apresentamos os dons do pão e do vinho que serão consagrados e tornados Corpo e Sangue do Senhor. 
-Ao lado desses dons que apresentamos ao altar do sacrifício Eucarístico somos convidados a doar a nossa vida com tudo o que ela contem: dores, alegrias, o que somos, o que temos. 
-Doamos também algo de nós, um bem material, a oferta em dinheiro, fruto do nosso suor e que destinamos a sustentar o culto a Deus e às preocupações materiais da Igreja com seus próprios gastos e com a ajuda aos irmãos em dificuldade. 
-Por mais piedosa que seja a nossa participação da liturgia eucarística ela não será plena se não participarmos fazendo a nossa oferta. Mesmo quando não temos nenhum valor para ofertar, ainda assim devíamos nos aproximar do altar e fazer a oferta da nossa vida a Deus.
Textos: 
Ecle 35, 6.11-12: "Não te apresentarás diante do Senhor com as mãos vazias"; "Faze todas as tuas oferendas com um rosto alegre, consagra os dízimos com alegria. Dá ao Altíssimo conforme te foi dado por ele, dá de bom coração conforme te foi dado por ele, dá de bom coração de acordo com o que tuas mãos ganharam. 
II Cor. 9, 7: "Dê cada um conforme o impulso do seu coração, sem tristeza nem constrangimento. Deus ama o que dá com alegria. Poderoso é Deus para cumular-vos com toda a espécie de benefícios, para que tendo sempre e em todas as coisas o necessário, vos sobre ainda muito para toda a espécie de boas obras." 

Nenhum comentário:

Postar um comentário